18 de dez de 2010

Indicação de um livro para entender mais sobre a Inteligência coletiva da Web.

"A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço".

Por Pierre Lévy – Você pode conhecer e ler parcialmente a partir do site de pesquisa do google livros, pesquisando pelo nome do livro acima.


Especialmente, para entender a importância da inteligência coletiva, sugiro a leitura do Capitulo I, “Os justos, ética da inteligência coletiva”, pág, 35, onde o autor faz uma analogia da história de Abraão, Genesis, 18,16-33; 19, numa interpretação “laica” do texto bíblico onde conclui que o moral do texto não é tanto um princípio transcendente do bem e do mal, “mas antes força de pessoas vivas e ativas, os “justos”, capazes de trabalhar para a existência do mundo humano.” (Cap. I, fls, 36 do livro: A Inteligência coletiva). Vale a pena conferir. Site: http://books.google.com.br/

Boas Festas a todos.

14 de dez de 2010

Registro Público de Agradecimento

Ao Pedro Rigolo Filho, Coordenador dos cursos do AVF (Ambiente Virtual de Formação), da Arquidiocese de Campinas e Região.

Olá Pedro.

Em minha opinião você fez muito mais do que imagina, simploriamente e simbolicamente você plantou as sementinhas neste jardim da Web aos Cristãos, no caso em tela, Católicos, da democracia moderna da Web ao livre arbítrio de Deus, tudo sem perder de vista os princípios Cristãos, tenha convicção, você fez mais do pensa ter feito, você modificou vidas, você deu novas expectativas, novos sonhos...Você provou que Cristo se renova, pode e deve estar presente em tudo que o homem descobre de “novo”, pois para Deus, nada disso é novo, nós é que insistimos em não querer aprender para Cristo, nós é que precisamos aprender sempre, especialmente a ser humanos sempre e em tudo, em qualquer lugar.

Como diria o saudoso padre Léo, não entreguemos o “mundo” (Web) ao “encardido”, pois tudo no mundo é criado por Deus para o bem do homem e pra servir a Deus, basta apenas o seu povo tomar posse e se fazer presente.

Arriscou – se corajosamente num mundo novo dentro de uma “pequena” comunidade que insiste em envelhecer e convocou “soldados” para essa “batalha”, a Evangelização na Web, soldados de todas as idades, soldados independente do sexo masculino ou feminino, soldados que fossem apenas soldados e defensores da grande causa, sem acepção de pessoas, apenas de corações, dispostos a participar da grande batalha, conquistar a Web para Cristo e para o bem do próprio homem.

Fez mais, humildemente e bravamente encarou o desafio, dando liberdade de pensamento, escolha e livre arbítrio, pela capacitação de seus “alunos”, de forma aberta, sem medo de falar a verdade e deixar falar...democraticamente, ou seja, você viveu e passou este novo Universo da Web ao povo de Deus, a inteligência coletiva e a necessidade de combater o individualismo em qualquer lugar onde se encontre.

Parabéns por tudo o que fez, o que tá feito, tá feito, não tem como mudar, você abriu novos horizontes, deu novos horizontes... É como a parábola do cego que teve os olhos abertos, uma vez abertos, não dá mais para fechar estes olhos, o milagre tá feito, agora o que e como estes olhos que foram abertos vão caminhar, é outra história, o importante, é fazer o milagre de “abrir os olhos do povo de Deus e dar a este povo o direito de escolha

Entretanto, devo dizer que o desafio de conquistar a Web não terminou, pelo contrário, apenas começou e a luta continua, o desafio permanece.

Coragem é a armadura que o Cristão atual deve mais que nunca revestir – se bravamente para fazer da Inteligência Coletiva da Web, uma inteligência coletiva Cristã e de amor a humanidade e seu próximo, iniciando a derrocada do império do individualismo para implantação do reinado de Deus, que com certeza não é desse mundo, mas como diz Leonardo Boff e outras correntes liberais, com certeza começa aqui através dos filhos e filhas de Deus.

Penso que a luta apenas começou, que Deus o ilumine, lhe de coragem e o capacite cada vez mais para tão árdua missão, conquistar a Web para Cristo.

Mas enfim, quem disse que ai ser fácil? Nem Cristo disse isso aos seus apóstolos.

Deus te abençoe.

Fraterno abraço,

E,

Obrigada.

Mônica Moreira Fonseca

12 de dez de 2010

Deus é Deus...na Web e nas suas muitas "Igrejas".

Um pensamento do qual não me recordo o autor, muito me fez pensar e refletir, quem souber mais, me escreva por gentileza, segue o pensamento:

 “...O homem deveria Deixar Deus ser Deus, para que o homem pudesse viver plenamente a sua humanidade..." Ou seja, somente Deus tem a última palavra sobre quem está certo ou errado em relação a dogmas e diferentes formas de viver o Cristianismo

1 de dez de 2010

Igreja pede aos fiéis que façam um exame de consciência sobre a Internet

Duas frases ditas por Dom Jean-Michel di Falco Lérandri, bispo de Gap e Embrun (França), refletem exatamente o problema recorrente da igreja na Web de hoje, quais sejam:

“...Os sites católicos se centram em si mesmos” e consideram os meios “como instrumentos e não como um mundo que é preciso evangelizar...”

“Os sites católicos são réplicas das folhas paroquiais, dos boletins diocesanos.”

E como tais, falam a linguagem dos fieis internos da Igreja, já evangelizados, mas não falam a linguagem do mundo, do jovem, nativo digital da Web.

Nesse diapasão, o texto Diaconia cultural expressa à preocupação da Igreja em falar a linguagem do mundo, especialmente à linguagem do mundo dos jovens na Web, pede aos fieis que saiam de si mesmo para ir de encontro ao próximo, falando a linguagem do mundo, indo de encontro ao mundo, o mundo da Web e não esperando que a Web e sua linguagem venham ao fiel católico.

Como já dizia o saudoso Papa João Paulo II: "Todavia o que importa é reconhecer que culturas precisam ser evangelizadas e que a web é uma delas."

E na mesma linha o papa Bento XVI, na mensagem deste ano, afirmou:

“que não se trata de marcar presença e/ou considerar a internet apenas como um espaço a ser ocupado. A Igreja deve estar presente no mundo digital para evangelizá-lo”! Utilizar os modernos recursos da web antes de ser um beneficio para a Igreja é uma missão pastoral.”

Assim indago se o jovem da Web, nativo digital tem espaço na Igreja “Virtual” para falar na sua linguagem a palavra de Cristo?

Penso que não, porque o que se tem reproduzido da Igreja para o jovem da Web não tem atrativos para eles, então, em minha opinião, um inicio de aprendizado mutuo seria a parceria entre o “antigo” e “novo”, através da criação de uma Pastoral do Virtual, onde o jovem da Web fosse protagonista e autor de sua história assistido por um pároco responsável.

É preciso saber ouvir também e não apenas falar, pois o dialogo impõe duas vozes do contrario é monologo e não dialogo.

E é este o exame de consciência que impõe - se a Igreja enquanto comunidade, ela está promovendo um dialogo na Internet e ou um monologo com o jovem da Internet e com o mundo de hoje?